A oração é uma arma para demolir fortalezas


           A oração é uma arma para demolir fortalezas



Deus nos deu a capacidade de destruir qualquer forte que o pirata mais poderoso já tenha construído em nossa vida

“As reuniões para oração coletiva têm resultado em tremendas respostas à oração. Além das respostas específicas, há sempre grandes benefícios espirituais à medida que todos aqueles que estão orando aprendem a persistir mais efetivamente”, disse Dr. Wesley L. Duewel, célebre missionário, pregador e escritor de renovação espiritual.

Todos nós temos importantes decisões a tomar, pois são elas que determinam nossa eficiência em derrubar as fortalezas mencionadas na Bíblia.



Deus nos deu a capacidade de destruir qualquer forte que o pirata mais poderoso já tenha construído em nossa vida. Ele nos dá armas “poderosas em Deus para destruir fortalezas” (cf. 2 Co 10,4). A primeira arma talvez seja a mais poderosa que você irá utilizar: a oração. Ela é a grande tarefa para a qual todo cristão foi chamado.

Oswald Chambers escreveu: “A oração não nos equipa para as ‘obras maiores’. Ela é a maior obra de todas”. A Bíblia declara claramente o propósito eterno de Deus para nossa vida: “Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho…” (Rm 8,29). O desejo do coração do Senhor é que nos tornemos iguais a Jesus. Quando a paixão de nossa vida se alinha com a paixão do coração d’Ele, podemos nos colocar de lado e ver Deus fazer coisas extraordinárias. Ele transforma o negativo em positivo, os erros em acertos e as fortalezas ocupadas por piratas em templos cheios do Seu Espírito. Isso nos leva à segunda arma de nossa guerra: o Espírito Santo. A oração nos dá acesso ao trono de Deus, de onde ele mantém todo poder e autoridade. O Espírito Santo é parte da natureza trinitária do Senhor que habita em cada cristão. Ele transporta o poder do céu ao nosso coração para sermos conformes a imagem de Cristo. O Apóstolo João escreveu: “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1 Jo 4.4).

Há muitos anos, um grande pregador proclamou o Evangelho e uma jovem entregou seu coração a Cristo. Ao término da reunião, o pregador lhe perguntou: “O que você fará quando o diabo bater à porta do seu coração?”. Ela parou e pensou antes de responder. “Eu acho que só vou pedir para Jesus atender à porta”. A jovem compreendeu uma grande verdade bíblica. A vitória não está no nosso poder, mas no poder d’Aquele que vive em nós. Ele é nossa força, a nossa fortaleza, a rocha da nossa salvação. Ele é aquele que nos leva a vencer.

“A oração nos dá acesso ao trono de Deus e nos permite tomar posse do poder e da autoridade de Cristo”. O Espírito Santo habita em nós e nos dá poder para demolir as fortalezas. “A oração libera o Espírito Santo para nos tornar iguais a Cristo”

Quem governa o trem da sua vida?


                Quem governa o trem da sua vida?

O comandante é o personagem principal nas viagens. Sem ele a viagem é arriscada, mesmo que o trem seja moderno.

Nos trilhos, ele cumpre o seu papel, e cada vagão é uma parte do todo. Percorrendo muitos quilômetros, o trem vai descortinando novos horizontes e revelando novos olhares a antigos e novos passageiros. Quem já viajou de trem sabe que cada viagem é diferente uma da outra. Há sempre novas surpresas a serem descobertas. O caminho pode até ser o mesmo, mas o olhar sobre o percurso é sempre renovado.



O comandante é o personagem principal nas viagens. Sem ele a viagem é arriscada, mesmo que o trem seja moderno. É ele quem direciona a comitiva e mantém em segurança os passageiros. A confiança é tão importante como a segurança oferecida. Fé é a confiança silenciosa nas mãos de quem guia nossa vida, com segurança, nos caminhos escuros das noites sem luar.

No trem da vida todos somos passageiros. Talvez até andemos pelos mesmos caminhos que outras pessoas já estejam trilhando, porém, o modo como vemos a vida é sempre diferente de outros olhares. Uma mesma paisagem sempre será vista com um olhar diferenciado. A beleza do viver está nos olhos de quem descobriu que a vida é o canteiro mais belo para semear as flores da eternidade. Há quem olhe pela janela do trem da vida e veja simplesmente um riacho. Outros olharão a vida que corre e passa por inúmeras barreiras para seguir o seu curso normal. A ponte que une os dois lados de um mesmo território será sempre superior ao muro que separa as fronteiras do amor e da paz.

Assim é a vida, uma nova descoberta a cada experiência. Trilhamos caminhos parecidos, no entanto, somos únicos. No teatro da vida, somos os protagonistas da mais bela peça criada pelo Autor da nossa história. Talvez essa seja a maior riqueza de nossas experiências: interpretar o papel principal de nossa existência. Na diferença do resultado que somos, aprendemos que a soma é mais importante que a subtração e que partilhar tem o mesmo valor de multiplicar.Somando alegrias e multiplicando a esperança, conseguimos dividir o amor com cada companheiro de viagem.

Cada vagão, uma vida; cada vida, uma história que compõe a mais bela sinfonia do universo. Cada estação nos trilhos da nossa história não significa um ponto de chegada, mas de partida. É no começo que descobrimos que não existe ponto final, mas sim parágrafos de frases inéditas, que nascem do coração de Deus em nós. Sempre estamos a caminho e, nesse processo de percorrer e descobrir novas estações, outros passageiros embarcam conosco na aventura de construir o céu no cotidiano de nossa vida.

No trem, somos um vagão carregado de bagagens. Nas malas de nossas experiências se encontram roupas velhas, desgastadas pela dor de antigas culpas. Mas também trazemos em nossas bagagens roupas novas de alegrias e sonhos que tornam nossas malas mais bonitas e leves. Não importa se ela é grande ou pequena, o que importa é o que faremos com o que pesa nelas.

Trilhar o caminho da vida nem sempre é fácil. Por vezes, perdemos o horário da partida e nos desesperamos sozinhos em mais uma estação de lágrimas. É triste olhar ao longe e ver que a viagem de esperanças tão sonhadas foi embora e nos deixou sozinhos aguardando o próximo horário que insiste em não chegar. Mas o trem sempre volta e é preciso não perder a oportunidade de embarcar nas oportunidades com as quais Deus nos presenteia.

Cada caminho é sempre novo para quem se dá a chance de olhar a vida com novos olhos. Só é novo aquilo que não mais é visto a partir das trevas da noite que passou.

Deus é quem comanda o trem que nos carrega pelos trilhos de nossa alma. A cada nova estação de nossas experiências alegres ou tristes, Ele nos convida a percorrer um novo caminho ao Seu lado. Nem sempre é fácil recomeçar quando nos acostumamos a olhar o trem que passava e não tínhamos coragem de dar o primeiro passo para fazer a mais bela viagem de nossa existência.

Na segurança do trem do amor, somos passageiros com destino à felicidade sem fim. No comando do trem da vida está Aquele que faz de cada estação de lágrimas o ponto de partida para novos tempos que nascem de novos sonhos e esperanças. É na soma do vagão de nossas possibilidades que juntos formaremos o trem de uma nova humanidade que percorrerá os mais belos caminhos da paz e da solidariedade. Em Deus descobrimos que o ponto de chegada é apenas o início de uma bela viagem que se chama amor.

Nossa Senhora Rainha dos Anjos, dos santos e dos homens


    Nossa Senhora Rainha dos Anjos, dos santos e dos homens



A Liturgia Sagrada já invoca a Mãe de Deus com os títulos de Rainha dos Anjos

Nossa Senhora, verdadeira Mãe de Jesus Cristo, Rei do Universo, é invocada hoje com o título de Rainha do Céu e da Terra. Antigamente, a festa da realeza de Nossa Senhora era celebrada no dia 31 de maio. Hoje, a liturgia colocou a memória logo depois da Solenidade da Assunção de Maria ao céu, em 15 de agosto, sendo a festa de Nossa Senhora Rainha dia 22 de agosto.



A Liturgia Sagrada já invoca a Mãe de Deus com os títulos de Rainha dos Anjos, dos Patriarcas, dos Profetas, dos Apóstolos, dos Mártires, dos confessores, das Virgens, de todos os Santos, Rainha Imaculada, Rainha do santíssimo Rosário, Rainha da paz e Rainha assunta ao céu.

Esse título de Rainha exprime o pensamento de a Santíssima Virgem se avantajar a todas as ordens de santidade e de virtude pelos méritos de ser a Mãe de Deus. Rainha dos meios que levam a Jesus Cristo, e de que, sendo Rainha assunta ao Céu, já era sobre a terra, isto é,Rainha reconhecida pela terra e pelo céu como sendo a criatura mais perfeita e mais avantajada em toda a santidade e semelhança de Deus Criador! Mas quando falamos no título da realeza de Maria Santíssima, trata-se da realeza que lhe cabe por direito como soberana, deduzida das suas relações com Jesus Cristo, Rei por direito de tudo o que foi criado, visível e invisível, no céu e na terra.

Efetivamente, as prerrogativas de Jesus Cristo têm todos os seus reflexos na Santíssima Virgem, Sua Mãe admirável. Assim, Jesus Cristo é o Autor da graça, e Sua Mãe é a despenseira e intercessora de todas as graças. E assim, pelo reflexo da Realeza de Jesus Cristo, seu Filho, ela é a Rainha do Céu e da Terra, dos Anjos e dos homens, das famílias e dos corações, dos justos e dos pecadores que, na Sua Misericórdia real, encontram perdão e refúgio.

Oh! Se os homens aceitassem, de verdade prática, a Realeza da Santíssima Virgem, em todas as nações, em todos os lares e realmente pelo seu governo maternal regulassem os interesses deste mundo material, buscando primeiro que tudo o Reino de Deus, o Reino de Maria Santíssima, obedecendo aos seus ditames e conselhos reais, como depressa se mudaria a face da Terra!

Todas as heresias foram, em todos os tempos, vencidas pelo cetro da Santíssima Mãe de Deus. Nesses nossos tempos, tão conturbados pelas sumas das heresias, os homens debatem-se numa pavorosa luta em que vemos e apalpamos, da maneira mais trágica, serem insuficientes os meios humanos para restabelecer a paz na sociedade humana! De resto, demasiado puseram os homens a sua confiança nos sistemas sociais, nos meios do progresso científico, no poder das armas de destruição, no terrorismo, e tudo isso só serviu para o mundo assistir, agora desorientado, à maldição profetizada aos homens que põem a sua confiança nos homens, afastando-se de Deus e da ordem sobrenatural da graça!

Faça com fervor esta oração: Maria Santíssima, Rainha do Céu e da Terra, é vencedora de todas as batalhas de Deus. Voltem-se os governantes do mundo para ela e o seu cetro fará triunfar a causa do bem, com o triunfo da Igreja e do Reino de Deus! Reze com devoção e confiança esta oração: Oh, Maria sem pecado concebida! A mais Preciosa Menina, Rainha das Maravilhas. Ajuda-me, neste dia, a ser sempre teu verdadeiro filho, para chegar um dia ao Deus da vida. És Rainha do Céu e da Terra, gloriosa e digna Rainha do Universo a quem podemos invocar de dia e de noite, não só com o doce nome de Mãe, mas também com o de Rainha, como te saúdam no Céu com alegria e amor todos os anjos e santos. Nossa Senhora Rainha, Celeste Aurora, enviai a luz divina do Universo para me ajudar a resolver esses problemas (descrever resumidamente as suas intenções).

Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória ao Pai.

Nossa Senhora Rainha, rogai por nós!

O que é preciso para ser feliz?


                   O que é preciso para ser feliz?


“A nossa vida não deve ser caracterizada por inquietações que geram ansiedades, mas sim pela fé que produz felicidade” (Charles H. Spurgeon).

Objetivo a ser alcançado em todos os tempos, a felicidade só agora começa a ser estudada pelas ciências sociais. As pessoas, no mundo ocidental, apesar da afluência econômica, não se tornaram mais felizes nos últimos 50 anos. Muitas ficam ricas, trabalham mais, vivem mais tempo e são mais saudáveis. Contudo, não estão mais satisfeitas. Hoje é possível medir esse grau de insatisfação, pois a psicologia econômica, disciplina só agora sistematizada, conseguiu resultados qualitativos muito interessantes, revelados recentemente no estudo de Richard Layard com o título “Happiness: has social science a clue?”.



Na sociedade em que estamos vivendo, terrivelmente alienada, superficial, digital, consumista e competitiva, é possível ter muito mais e não ser feliz. Por mais que consigamos, estamos sempre infelizes e insatisfeitos, porque as coisas terrenas não saciam os nossos desejos.

O filósofo e escritor latino Sêneca (4 a.C. – 65 d.C.) disse: “Se não estou satisfeito com o que tenho, mesmo se possuísse o mundo, ainda me sentiria na miséria!”

Só Deus realiza os mais profundos e insaciáveis desejos do ser humano. Afirma com categoria São Bernardo de Claraval (1090 –1153): “Deus fez de ti um ser de desejo, e o teu desejo é o próprio Deus”.

Há alguns anos, perguntou-se às pessoas na França, na Alemanha, na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos: “O que é preciso para ser feliz?”. Dentre os entrevistados, 89 por cento disseram que isso requer boa saúde; 79 por cento mencionaram a satisfação no casamento ou na vida em comum; 62 por cento salientaram as recompensas da paternidade e da maternidade; e 51 por cento citaram uma carreira bem-sucedida. Embora a sabedoria popular diga que o dinheiro não garante a felicidade, 47 por cento dos interrogados estavam convencidos de que ele a garante. O que os fatos revelam?

Primeiro, note o suposto vínculo que há entre o dinheiro e a felicidade. Uma pesquisa feita entre as cem pessoas mais ricas nos Estados Unidos mostrou que elas não eram mais felizes do que as outras em geral. Além disso, embora muitas delas quase tenham dobrado o seu patrimônio nas últimas três décadas, não são agora mais felizes do que antes, segundo os peritos em saúde mental. Na realidade, um relatório informou: “No mesmo período, os casos de depressão dispararam. O suicídio de adolescentes triplicou. O número de divórcios dobrou”.

Em cerca de 50 países diferentes, pesquisadores que estudaram a relação entre o dinheiro e a felicidade chegaram à conclusão de que não se pode comprar a felicidade.

Que relação importante com a felicidade têm fatores como boa saúde, casamento feliz e carreira bem-sucedida? Será que algumas pessoas vão ao extremo para conseguir a felicidade?

O filósofo Eric Hoffer chegou à conclusão de que sim ao afirmar que: “A procura da felicidade é um dos principais motivos da infelicidade”. Isso certamente é verdade quando procuramos a felicidade nos lugares errados. O lugar certo é o coração do ser humano. O caminho é Jesus Cristo, e a riqueza é a Palavra de Deus.

Disse Santo Agostinho de Hipona (354 – 430), teólogo, filósofo e doutor da Igreja: “A procura de Deus é a procura da felicidade, o encontro com Deus é a própria felicidade”. Para Deus, pois, é mister orientar todas as nossas ações e pensamentos. Conhecê-Lo, amá-Lo, servi-Lo e, assim, glorificá-Lo, eis o fim da nossa vida e da nossa verdadeira felicidade.

“Infeliz quem conhece todos essas coisas (terrenas) e não Vos conhece, ó meu Deus!” Feliz quem Vos conhece, embora ignore todo o resto. Quanto a quem Vos conhece e conhece também as coisas terrenas, não é mais feliz por conhecê-las, mas é unicamente o conhecimento que tem de Vós que o faz feliz”, afirma Santo Agostinho.

A fonte da verdadeira felicidade, aqui e na eternidade, é Jesus Cristo. Só Cristo preenche todo o espaço do coração com a paz e a alegria.

 

©2010 GRUPO DE ORAÇÃO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA | Desenvolvido por Daniel Farnocchi