Como lidar com pessoas pessimistas?


                 Como lidar com pessoas pessimistas?


                                     Saiba como lidar com pessoas pessimistas

Já está mais do que provado que o bom humor colabora com a qualidade de vida, e sorrir é uma das melhores coisas do mundo. Mas a verdade é que encontrar pessoas realmente felizes em nossos dias é quase como descobrir um Oásis em meio ao deserto. Andamos tensos, apressados, conectados no telefone e sem tempo para olharmos com atenção as coisas boas da vida e sermos gratos. Por outro lado, ouvimos contantes reclamações a respeito da chuva, do calor, do governo, do transito, da crise etc. Talvez nem percebamos, mas são manifestações de pessimismo que, aos poucos, nos contagia. É claro que nem tudo são flores nesta vida, e coisas boas e ruins se alternam no dia a dia, alterando também nossos sentimentos a cada instante; mas, se temos como meta a felicidade, é preciso levantar depois das quedas, sacudir a poeira e seguir em frente com um sorriso de esperança sem se deixar levar pelas lamúrias. Afinal, como lidar com pessoas pessimistas?



O fato é que ter uma visão positiva ou negativa em relação aos acontecimentos é, antes de tudo, uma questão de escolha. A pessoa pessimista, por exemplo, consegue imaginar tudo de ruim que possa acontecer e não enxerga nada de bom que já esteja acontecendo. O otimista, ao contrário, mesmo que esteja na pior, tem tanta certeza que vai vencer, que passa pela dor com serenidade. E não é que esteja vivendo fora da realidade, mas é sua atitude em reconhecer quem é, e a certeza de que não está sozinho neste mundo, que o faz ir além. Portanto, se você é do tipo que fica muito chateado, ou até mesmo arrasado quando as coisas não acontecem do jeito que planejou, experimente, na próxima vez que isso acontecer, analisar a situação com calma e pedir para Deus lhe mostrar uma nova perspectiva do acontecimento. Se viver a experiência com fé e coragem, tenho certeza que vai se surpreender. Uma vez que optamos por andar nos caminhos de Deus, Ele nos proporciona graças em todas as situações, só que por vezes é preciso procurá-las.


Na adolescência, li um livro que me ajudou bastante nesse sentido. É um clássico de Eleonor Porter, chamado Polyana. O livro narra a história de uma menina pobre materialmente falando, mas com um entusiamo tão grande que conseguia contagiar até os corações mais duros e resistentes à alegria. Por exemplo, ela desejava muito ganhar uma boneca, mas recebeu um par de muletas por engano. Em vez de ficar triste, concluiu, com a ajuda do pai, que tinha um grande motivo para se alegrar: “O fato de não precisar de muletas”. Foi aí que começaram a jogar o “jogo do contente” como vieram a chamar a dinâmica que consiste em encontrar qualquer motivo para alegrar-se e agradecer a Deus por tudo que acontece seja o que for. Polyana ensinava o “jogo” a todos que encontrava, e o resultado foi uma transformação total da cidade. A história é linda e segue para um final feliz, é claro! Agora, na vida real, será que nós não podemos fazer algo parecido e levar um pouco de esperança e alegria aos corações abatidos?
A importância de mudar o ponto de vista

Não se trata simplesmente de pensar de forma positiva ou de tentar fazer coisas boas acontecerem com o poder dos pensamentos. Trata-se de ver as coisas do ponto de vista de Deus, lembrando que Ele nos ama e pedir que ele nos mostre como uma circunstância aparentemente negativa pode, na verdade, nos trazer algo de bom. Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito (Rm 8,28). Essa verdade gravada na Sagrada Escritura deve ser trazida à memória sempre que passamos por situações que nos contrariam, pois ela nos leva a enxergar segundo a perspectiva de Deus, que é bom e só deseja o bem para seus filhos.

Muitas vezes, não conseguimos mudar as situações, é verdade, mas quando fazemos opção pela confiança em vez do lamento em meio às provas, mudamos totalmente a maneira como lidamos com a vida e o mundo carece de atitudes assim. Façamos hoje a experiência de acreditar mais no amor de Deus e semear mais alegria e esperança nos corações em vez de queixar-se. Tenho certeza que isso dará um novo sentido a nossa vida. Porque sempre há um aceno do amor misericordioso de Deus em cada situação que vivemos.

Como lidar com a saudade


                         Como lidar com a saudade

“Só se tem saudades do que é bom, se chorei de saudades não foi por fraqueza, foi porque amei…”


Canções como essa, do diácono Nelsinho Corrêa, e tantas outras que conhecemos, além de poemas e versos que foram inspirados em corações saudosos ao longo dos anos, tentam exprimir esse sentimento tão nobre que mereceu até mesmo uma data em nosso calendário. 30 de janeiro é o Dia Nacional da Saudade!



De origem latina, “saudade” é fruto da transformação da palavra solidão, que, no latim, seriasolitatem. Com o passar dos anos, a mudança dos tempos e a variação da pronúncia sofrida pela influência das diversas raças, o resultado é a nossa saudade, sentimento tão familiar que até dispensa tradução.

Quem já abriu o coração ao amor sabe bem o seu significado. Talvez, uma mistura de alegria e dor. Alegria por ter vivido algo bom e dor por estar privado dessa alegria no momento presente. Mas será que é só isso?

Na verdade, é muito mais. Pesquisadores afirmam que saudade é uma das palavras mais difíceis de traduzir em praticamente todas as línguas. E quando se fala da nossa saudade, em termos brasileiros, é ainda mais complicado, porque ela está ligada a muitos fatores, inclusive à cultura, que tem por si só uma explosão de sentidos. O fato é que a saudade não está ligada somente às pessoas, mas também a lugares, tempos, situações, cheiros, sabores e tantas outras coisas que marcam nossa história.

Quem não se recorda, por exemplo, dos amigos da infância, das brincadeiras, dos passeios da escola, dos primeiros acenos do amor? São recordações que nos transportam de um tempo a outro em segundos, e isso é fruto da saudade. Esse sentimento, que tem sentido próprio para cada um, é traduzido no dicionário como “uma sensação de incompletude, ligada à privação de pessoas, lugares, experiências, prazeres já vividos e vistos, que ainda são um bem desejável”. Digamos que é algo ligado ao amor, ao afeto ou coisa assim, que é bom, mas, às vezes, “amarga que nem jiló”, como afirma o grande compositor nordestino Luiz Gonzaga em uma de suas famosas canções.

O interessante é que, na mesma música, ele relata também que aprendeu a lidar com a saudade de um jeito diferente: “…mas ninguém pode dizer, que me viu triste a chorar, saudade o meu remédio é cantar”. Aí está uma via que muitos artistas seguiram, deixando, ao longo dos anos, um arsenal de poesias e versos como herança: transformar o sentimento em arte, conduzi-lo à gratidão. E gratidão é a palavra que vem a minha mente quando penso em saudade!

Como “só sentimos saudades do que é bom”, em vez de pararmos na dor, por que não agradecer?

Sim, agradecer por aquilo que nos fez bem. Por exemplo: eu tenho saudades do meu pai que já partiu para a eternidade, mas sempre que me recordo dele, a gratidão por ter tido um pai tão bom é maior que o sentimento de vazio que sua morte deixou. Então, sinto saudades sim, e muita! Mas sou grata, e isso me faz seguir em frente de coração aberto ao amor e à vida.

Penso que reconhecer as coisas boas que já recebemos, e mais ainda, relembrar com gratidão as pessoas que Deus nos permitiu conhecer, cativar e amar, seja uma boa dica para celebrar o dia da saudade. E como “relembrar é, de certa forma, reviver”, relembremos momentos bons da nossa história, pessoas queridas que fazem parte dela e expressemos nosso amor deixando o coração falar através dos meios que estão ao nosso alcance. E porque só se tem saudades do que é bom – e de coisas boas só faz sentido lembrar com gratidão –, sejamos gratos também pela saudade!

O que me faz sonhar e ser feliz


                      O que me faz sonhar e ser feliz


                    Mesmo em meios às adversidades podemos sonhar e ser feliz

De tempos em tempos, faz muito bem reavaliarmos a vida e percebermos a necessidade de mudanças para continuarmos vivendo plenamente. É como quem está seguindo em uma estrada reta e, de repente, depara-se com uma bifurcação. Não dá mais para seguir do mesmo jeito, é preciso optar por uma direção ou outra e preparar-se para as novidades que seguem. Sim, a vida é feita de novidades!



Cada dia é único, mesmo que seja repleto de coisas aparentemente iguais. Nós também somos únicos, mesmo que, às vezes, nos tratem como iguais. Então, viver cada dia com suas surpresas, fazendo nossas próprias escolhas, abertos às novidades, é o que dá verdadeiro sentido à vida. Aliás, sentido é uma palavra que tem tudo a ver com a forma que escolhemos viver. Não estamos neste mundo por acaso, e ter um sentido na vida faz toda diferença. Conheço um provérbio popular que diz: “Para o barqueiro que não sabe aonde quer chegar, nenhum vento lhe é favorável”. Ou seja, quem não tem uma meta dificilmente chega a alguma conquista, e até quando aconteçam coisas boas, nada parece lhe favorecer.

É que, na verdade, costuma-se encontrar o que se procura. Por isso, se você busca a felicidade, por exemplo, vai encontrar razões para ser feliz mesmo em meio às adversidades; contudo, se não busca a felicidade, quando ela vier ao seu encontro não a reconhecerá. Assim, se não sei o que estou buscando, como posso encontrar? É claro que existem pedras no caminho e nem todos os ventos sopram a nosso favor, mas quando temos uma direção, algumas pedras nos servem de degraus e alguns ventos fazem nosso barco avançar mar adentro com maior velocidade. Então, se quisermos realizar sonhos e viver em paz, é preciso sabermos com clareza aonde queremos chegar, e, a partir daí, fazermos as pequenas e grande escolhas do dia a dia, sem medo de arriscar.

Lembre-se de que você é único e tem um valor fundamental neste mundo. Siga seu coração e procure agir de acordo com aquilo que você sonha e deseja, e não de acordo com o que os outros pensam e querem para você. Nessa busca, você precisa olhar para seu passado com gratidão, mesmo que tenha sido difícil, sabendo que ele só pode influenciar seu futuro positivamente se você tiver aprendido com seus erros. Também precisa ter calma e respeitar seu processo de mudança.

O mundo pede urgência, é verdade, mas o coração tem seu próprio ritmo. Portanto:

– Tenha paciência com você mesmo, respeite seus limites e vá dando um passo de cada vez sem desanimar.

– Não permita que nada impeça suas relações com as pessoas, com Deus e com você mesmo.

– Se for preciso, reconcilie-se, recomece, ame mais intensamente e não queira ser sempre o dono da razão.

Permita-se o direito de errar e arrisque mais uma vez, sempre que for preciso.

Quem sabe o que quer não perde tempo se lamentando das quedas, olha para o futuro com esperança e sabe que para chegar aonde deseja, tem de viver bem o presente. Portanto, levante a cabeça e volte a acreditar nos seus sonhos agora mesmo!

Você não estará sozinho, existe um Deus que o ama e está disposto a orientar seus passos. “Quer você se volte para a direita, quer para a esquerda, uma voz atrás de você lhe dirá: ‘Este é o caminho; siga-o’” (Is 30,21).

A felicidade está à sua espera, por detrás de cada acontecimento que a vida lhe proporciona, vá ao encontro dela sem medo. Os ventos são favoráveis para o barqueiro que sabe onde quer chegar!

Como posso ter esperança de que o futuro será melhor?


      Como posso ter esperança de que o futuro será melhor?


                            Como ter esperança diante das perspectivas frustadas?


Dizer que “enquanto vivermos haverá desafios, mas com coragem para enfrentá-los vamos vencer” seria desnecessário, pois o próprio Jesus já falou a esse respeito há mais de dois mil anos: “No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo” (Jo 16,33).





No entanto, há momentos em que as perguntas ganham força e influenciam diretamente nossa vida. O que fazer, por exemplo, diante das perspectivas frustadas, quando os sonhos parecem cada vez mais distantes, quando as perdas parecem maiores que os ganhos e os erros superiores aos acertos?

O que fazer quando você olha para trás e tem a sensação de que fez tudo errado e ninguém mais acredita em você? Ou pior, quando até você deixou de acreditar em si mesmo? As perguntas são inevitáveis, mas as respostas demoram a chegar. O fato é que quando passamos por momentos difíceis, geralmente não conseguimos enxergar a ação de Deus nos acontecimentos. Falta-nos forças para orar e ver além dos nossos sentimentos feridos; por isso é difícil acreditar que milagres podem acontecer. As inúmeras perguntas têm a mesma raiz, falta de esperança, falta de fé.


Deus espera uma chance para mudar sua vida

Nessa hora, talvez até você já tenha pensado se vale mesmo a pena continuar ou, então, questionado-se qual é o sentido da vida e se ainda existe uma esperança. A resposta, no entanto, não está ao alce de uma pesquisa na internet, por exemplo, ela está dentro de você e tem um nome: Deus! Ele ainda acredita em você! Sim, Deus não desistiu de você e continua ao seu lado esperando uma chance para mudar sua vida. Ele acredita no seu potencial, na sua capacidade de amar, de superar, dar mais um passo na direção dos sonhos que Ele mesmo plantou em seu coração deste o primeiro momento de sua existência. Deus sonha com você e deseja sua felicidade. “Sei muito bem do projeto que tenho em relação a vós, oráculo do Senhor! É um projeto de felicidade, não de sofrimento: dar-vos um futuro, uma esperança!” (Jer 29,11)

Leia também:
:: O que me faz sonhar e ser feliz?
:: Como lidar com pessoas pessimistas?
:: A beleza de ser mulher
:: Como lidar com a saudade?
Portanto, mesmo que hoje você esteja sem esperança, levante a cabeça, olhe para o céu e pense em Deus como um Pai bom e amoroso que está agora ao seu lado.

E já que Deus acredita em você, acredite você também e deixe-se conduzir pela força do bem que habita sua alma. Nesse processo de vida nova, procure não culpar ninguém! Lembre-se de que nós somos pessoas livres e o que nos acontece é resultado de nossas escolhas. Não caia na tentação de culpar as pessoas e se eleger como vítima, isso só atrapalha a obra nova que Deus quer lhe proporcionar. Procure reconstruir sua história sempre a partir da verdade, pois quando você a acolhe, faz uma grande descoberta: percebe que é capaz de amar e começa a amar concretamente mesmo na dor.

Eu sei que não é fácil mudar a forma de pensar e agir, mas é importante lembrar que é possível com a graça de Deus. Não desista! Você pode ter esperança de que seu futuro será melhor, porque Deus acredita em você!